Mais duas mortes são confirmadas por Influenza na Zona da Mata

Sobe para sete o número de mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave provocada pelo vírus Influenza. A confirmação foi feita nesta quinta-feira (7) no segundo Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgado essa semana. No primeiro balanço, eram cinco óbitos registrados.

Os novos registros são em Cataguases, que agora soma duas mortes, e em Leopoldina, subindo de dois para três óbitos. Além dessas cidades, Ubá e Visconde do Rio Branco têm um caso cada.

Já o número de casos confirmados saltou de 14 para 18.

A doença é dividida em tipos, subtipos e linhagens e todas as variações correspondem a diferenças encontradas no material genético.

Estado

De acordo com a SES-MG, desde o início do ano, 1178 casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave foram notificados. Desde total, 111 mortes foram confirmadas e 23 delas pelo vírus Influenza.

Sintomas

Os sintomas das Influenzas A e B são febre alta e súbita, tosse, dor de garganta, dor no corpo, dor nas articulações e dor de cabeça. No caso do H1N1, subtipo da Influenza A, um sintoma que chama a atenção é a falta de ar e o cansaço excessivo.

É importante distinguir a gripe do resfriado comum, que é muito mais leve, com sintomas menos graves como coriza, mal estar, dor de cabeça e febre baixa.

Vacinação

A vacina contra a gripe é atualizada todo ano. A campanha nacional de 2018 foi estendida até 15 de junho. A Organização Mundial de Saúde ( OMS ) informa quais são os tipos de vírus que estão circulando e, com base nesta informação, as vacinas são produzidas. Assim, a cada ano, a cada nova temporada de gripe, todos devem vacinar.

Há dois vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e dois vírus Influenza B. O H3N2, que causou um surto nos Estados Unidos neste último inverno, está contido na vacina de 2018.

Os grupos que podem receber a vacina gratuitamente na rede pública são: crianças de 6 meses a 5 anos de idade; gestantes; puérperas, isto é, mães que deram à luz há menos de 45 dias; idosos; profissionais de saúde; professores da rede pública ou privada; portadores de doenças crônicas; povos indígenas e pessoas privadas de liberdade. Estes grupos necessariamente devem receber a vacina da gripe. Na rede privada, a vacina da gripe pode ser administrada para todas as pessoas.

Fonte https://g1.globo.com/mg/zona-da-mata/noticia/mais-duas-mortes-sao-confirmadas-por-influenza-na-zona-da-mata.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *