Operação “Juízo Final”: quinze presos e diversos veículos apreendidos



A partir de investigação conjunta da Agência de Inteligência (AIP) e da Delegacia de Homicídios (DH), a 4ª DRPC deflagrou na manhã desta quarta-feira (11), a Operação denominada “Juízo Final”. A ação contou com mais de 70 Agentes, cerca de 30 veículos e com o apoio do Helicóptero “Carcará”, da Polícia Civil, pela primeira vez sobrevoando a cidade. Ao todo, foram cumpridos 16 Mandados de Prisão e 18 de Busca Domiciliar. Os policiais foram mobilizados de todas as Delegacias Regionais que integram a área de atuação do 4º Departamento de Polícia Civil, em Juiz de Fora, como Muriaé, Miradouro, Carangola, Divino, Juiz de Fora, Ubá e Viçosa.
De acordo com as investigações, os suspeitos são membros de um grupo criminoso que luta contra rivais, pela hegemonia do tráfico de drogas na cidade, executando integrantes dos grupos rivais.

Entre os presos, está um homem considerado pela Polícia como líder de um dos grupos criminosos, o irmão dele, identificado e um outro elemento no qual seu irmão já se encontra preso e é acusado de envolvimento com tráfico, homicídio e lavagem de dinheiro. Com os suspeitos, foram apreendidos vários carros de luxo, dentre eles, um veículo BMW,  avaliado em mais de R$ 100.000,00 que, segundo as investigações, foram adquiridos com produto do tráfico de drogas, além de mais sete carros e seis motos.
As ações foram nos bairros Aeroporto, Cel. Izalino, Encoberta, João XXIII, Marambaia, Porto Belo, Santa Terezinha, Santo Antonio, São Pedro e Vila Conceição.

A “Guerra do Tráfico” em Muriaé já vitimou, só neste ano, cerca de 16 pessoas, dentre os homicídios consumados e fora as tentativas que chegaram atingir pessoas que não estavam envolvidas.

De acordo com o delegado Tayrony Espíndola, coordenador da Agência de Inteligência da 4ª DRPC, a (re) ação é uma resposta aos altos números de homicídios ocorridos na cidade nos últimos anos, sobretudo, por adolescentes que são facilmente recrutados por estes grupos criminosos: “A ação foi fruto de um árduo esforço no mapeamento e identificação dos suspeitos e vem de encontro aos anseios da população muriaeense, que já não aguenta mais ver jovens, e ultimamente até mesmo pessoas inocentes, sem qualquer envolvimento com o mundo crime, morrendo de forma violenta por conta do flagelo das drogas. No campo investigativo, que é o que nos compete, estaremos sempre monitorando estes criminosos e prontos para leva-los a julgamento torcendo que, ao final, sejam condenados e segregados em definitivo do convício social porque, na verdade, eles não sabem viver em sociedade”.

Já o delegado Rangel Martino, titular da Delegacia de Homicídios, disse que grande parte dos homicídios investigados nos últimos anos, foram praticados pelos suspeitos presos na Operação, que se revezam em vingar a morte de comparsas: “Eles vem se digladiando há muito tempo, cooptando adolescentes, para literalmente exterminar os supostos integrantes do grupo rival, num eterno justiçamento, onde a cada integrante morto corresponde a certeza de morte de um membro do grupo rival.”

Dos capturados nesta operação, quatro são mulheres, inclusive três de uma mesma família, que foram levadas para o Presídio Feminino, em Eugenópolis e 15 homens que após os trabalhos de praxe foram encaminhados ao presídio Safira, e todos estão a disposição da justiça.
Já se encontram presos outros 10 elementos, que estão diretamente envolvidos nesta guerra da disputa por pontos e controle do tráfico de drogas em Muriaé.

VEJA TAMBÉM

  1. MARCELO

    VAI ACONTECER UMA FESTA AQUI NO BAIRRO AEROPORTO AMANHA VAI SER TUDO BANCADO COM DINHEIRO DO TRAFICO POLICIAS DEVERIA FICAR ATENTO PORQUE VAI ROLAR E MUITA DROGA AQUI.

     
  2. ZOADO (A INVASÃO)

    QUANDO LIBERAR E VENDER EM ESTABELECIMENTOS LICENCIADOS, ACABA O TRÁFICO E A VIOLÊNCIA. ENTRANDO UMA FORTUNA EM IMPOSTOS PARA O GOVERNO.

     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *